Amigoo, quem tem cuida.
Contato: 0800 717 3333 | Atendimento 24 horas
Amigoo, quem tem cuida.
Contato: 0800 717 3333 | Atendimento 24 horas

Dicas para manter seu pet seguro durante as festas de fim de ano

As festas de fim de ano são um momento complicado para os pets, mas de acordo com a adestradora Patrícia Patatula, algumas dicas podem auxiliar os tutores a evitar momentos de surpresa durante o período.

Não esqueça que o cão existe


Os donos precisam tomar cuidado no entra e sai de pessoas e na abertura de portões durante o período em que as casas ficam cheias de gente. É uma época propícia para que os cães se percam, saiam de casa e os donos não percebam.

Prepare uma pequena ceia para ele

O ideal é você criar uma limitação para que o cão não tenha acesso à mesa onde vai ocorrer a ceia de Ano Novo ou ao local das comidas. Mas uma opção bacana é preparar um brinquedo a que o animal esteja habituado e rechear com alimento.

É importante que o seu Amigoo já tenha tido acesso a esse brinquedo porque, se for algo muito novo e complicado, ele vai preferir subir na mesa.

Arrume um lugar tranquilo para o animal


Com relação ao barulho e principalmente aos fogos, hoje em dia algumas pessoas optam por colocar janelas antirruído e preparar um local que seja tranquilo para o cão e em que ele goste de ficar.

Tome cuidado com portões e grade, já que, em um momento de desespero, o mascote consegue escalar pontos que normalmente não escalaria e até quebrar janelas.

Considere ensinar alguns comandos


Treinamentos podem ser realizados com o animal e obter resultados expressivos em um curto prazo. No entanto, isso não ocorre do dia para a noite, é preciso começar a realizar esses treinos com uma certa antecedência. Nada que seja feito no dia do evento irá resolver muito.

Sedativos apenas em último caso


Antes de tudo, leve seu pet até o veterinário para verificar a possibilidade de sedação. Há animais que realmente ficam mal com os fogos e outras movimentações em seu lar. Por isso, pense se vale o uso de calmantes, dependendo do grau de pânico do cão, mas apenas em últimos casos.

Fonte: adaptado de Revista Meu Pet Ed. 29

About the author