Amigoo, quem tem cuida.
Contato: 0800 717 3333 | Atendimento 24 horas
Amigoo, quem tem cuida.
Contato: 0800 717 3333 | Atendimento 24 horas

Os pets também sofrem com as mudanças de temperatura

Os pets também sofrem com as mudanças de temperatura

Há quem pense que os pets não sentem frio por serem peludos, mas o que acontece é que, assim como nós, cães e gatos são animais endotérmicos, ou seja, controlam a temperatura corporal de acordo com o próprio organismo. Por isso que quando está muito calor você pode se deparar com o seu cão esparramado sobre o piso frio, ou tremendo quando o termômetro cai. “Eles tendem a procurar regiões para fazer regulação térmica”, certifica a veterinária Renata Tolezano, do Hospital Veterinário Cães e Gatos 24h (SP).

Contudo, a presença de pelos não deixa de ser uma proteção natural contra o frio – e a falta deles, uma defesa ante o calor. “O tamanho da pelagem influencia na sensação térmica. Raças de pelo curto tendem a adaptar-se melhor em regiões quentes e sentir mais frio nos dias gelados”, afirma Renata. Por isso, no inverno, não deixe de oferecer cobertores aos mascotes mais desprovidos de pelo e também roupas (se o animal não se incomodar em usá-las) de algodão ou tecidos sintéticos, que são leves, confortáveis e ajudam a mantê-los aquecidos. Já no verão, coloque ventiladores e muita água fresca à disposição especialmente dos animais mais peludos.

PROTEÇÃO A MAIS

Além de terem a pelagem mais desenvolvida, raças de regiões com temperaturas baixas, como Husky Siberiano e Chow Chow, possuem outros mecanismos corporais de defesa do clima. “Esses animais, em épocas mais frias, tendem a formar uma camada adicional na pelagem para proteção térmica, principalmente em países onde o inverno é bem rigoroso”, explica Renata. Por esse motivo, eles podem se incomodar com roupas aqui no nosso país tropical.

 

Fonte: Revista Meu Pet Ed. 39

About the author